Ir para o conteúdo
ou

gamificacao

- -

AJUDA

Política Nacional de Participação Social

#participabr





 Voltar a Planejamento...
Tela cheia

Documento de contextualização da oficina.

29 de Abril de 2015, 0:00 , por Ronald Emerson Scherolt da Costa - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 78 vezes

Contexto: Como potencializar o engajamento na construção de políticas públicas usando plataformas digitais de participação social?

 

A resposta dessa questão aponta para a participação social, compreendida como um caminho para a obtenção de um resultado concreto desse processo de construção efetiva de políticas públicas. Todavia, ainda é necessário refletir sobre como fortalecer ainda mais o processo de participação social digital. Trata-se de pensar como ir além de uma participação simples. Pensar em ir além de um click em um processo de votação ou de um “like” (curtir) para uma ideia ou proposta. É necessário que o cidadão dedique-se ao processo de reflexão mais profundo e que tenha acesso à informação relevante sobre o processo no qual está participando. Além de disponibilizar informação é necessário pensar em dinâmicas que o auxiliem e motivem a compreender o processo do qual ele está participando. É preciso fazer desse processo um momento de aprendizado e reflexão (pensamento reflexivo) para atingirmos a participação significativa.

A trilha, objeto criado na plataforma Noosfero para contemplar o desenvolvimento de um processo participativo, é como um projeto a ser desenvolvido para determinado fim. De acordo com Gasque (2012), “a melhor maneira de desenvolver o pensamento reflexivo, de acordo com John Dewey, filósofo estadunidense do século XX, é mediante projetos.”

Ao construir um caminho de participação social, ou seja, um processo (projeto) participativo (trilha), avançamos passo a passo. Cada ponto de avanço do processo participativo da  trilha é um passo (uma etapa), e a cada passo empregamos uma dinâmica e uma ferramenta apropriada para aquele contexto específico que estamos realizando. A participação efetiva em uma comunidade, trilha ou passo se dá por diversos aspectos. Entender o processo de participação e identificar os aspectos que ampliam o engajamento e a motivação desses atores, talvez possa nos indicar como a gamificação pode ser empregada neste contexto.

Porém ainda não chegamos ao cerne da questão, pois inúmeros outros fatores influenciam a execução da trilha (processo de participação) dentro da comunidade temática. O principal objeto é o “sujeito” e sua motivação para a participação efetiva no portal (como ele constrói seu processo participativo) dentro das comunidades, nas trilhas, e no desenrolar da construção de seus processos participativos desenvolvidos na plataforma digital.

A efetividade do processo participativo surge do arcabouço de competências e habilidades que o sujeito da participação digital dispõe para iniciar a sua caminhada dentro da plataforma digital de participação social. Está associada a como esse sujeito se mobiliza para o processo, por meio de suas experiências, e como busca e usa a informação.

Para Gasque (2014),

“O letramento informacional pode ser entendido como processo de aprendizagem para desenvolver competências para buscar e usar a informação de forma eficaz e eficiente. Como tal, pode ser implementado em instituições, escolas, empresas, grupos de estudos, comunidades, redes sociais, dentre outros. Há inúmeros tópicos de pesquisa sobre o assunto, por exemplo, o letramento informacional vinculado às questões curriculares, à segurança da informação, ao impacto na aprendizagem, aos sentimentos e atitudes ao longo do processo, à elaboração de modelos para diferentes fins, à melhoria de processos nas empresas, à formação de funcionários e professores, à aprendizagem significativa, ao desempenho de pessoas na busca e uso da informação em qualquer área, à cidadania plena, à melhora nas dificuldades de aprendizagem, à produção de material didático.”

 

Dentro do contexto do Letramento Informacional, a partir do arcabouço pessoal e da experiência do usuário, a efetividade do aprendizado em participação está relacionada a diversos aspectos:

  • acesso à informação;
  • busca e uso da informação;
  • escolha das fontes e suas relevância;
  • conhecimento de bases de dados sobre o tema;
  • classificação da informação;
  • estudo do usuário.

A experiência do usuário e o nível de letramento informacional muda o processo de aprendizagem de conhecimento do processo participativo. O processo de aquisição de conhecimento durante um processo participativo também é relevante. O foco deve estar no processo em como isso ocorre. A trilha é neste contexto um processo de aprendizagem, pois organiza e consolida um processo de construção de conhecimento participativo sobre um determinado tema. É preciso considerar como esse sujeito aprende melhor, para tornar o processo ainda mais efetivo. O processo será mais rico, tanto quanto a aprendizagem neste processo for mais rica. Pensar como se dá a processo de construção e execução da trilha de aprendizagem de participação é construir um conhecimento mais siginificativo neste processo participativo.

De acordo com Correia;Santos (2014) a gamificação ou gamification busca “identificar os elementos responsáveis pela motivação humana presente nos jogos, visando aplicá-los para resolução de problemas do mundo real”. Seu objetivo é motivar e engajar o sujeito a partir da dinâmica e mecânica dos jogos.

Dentro do contexto da Gamificação, a partir do arcabouço pessoal e da experiência do usuário, e compreendendo que o processo de participação social é construído por meio do aprendizado, obteremos um melhor resultado a partir da motivação do sujeito.

O acesso e uso qualificado da informação (contexto do letramento informacional) também é importante para o processo de participação social, afinal para que se tenha uma participação efetiva e qualificada é necessário participar sabendo como buscar e usar informações, e estas habilidades e competências uma vez desenvolvidas ajudam o cidadão a participar de forma qualificada, contribuindo para a formação da plena cidadania. A falta dessa competência em informação impede, desqualifica a participação e desmotiva o cidadão a engajar-se no processo participativo, especialmente pelos meios digitais. Sem o devido arcabouço de conhecimentos sobre o tema que está sendo trabalhado e sem a competência em saber buscar informações e processá-las , não haverá efetividade na participação, especialmente quando a construção do processo necessitar de opiniões ou respostas contextualizadas e fundamentadas.

Assim, pensando na motivação e no desenvolvimento de competências e habilidades, e especialmente na efetividade do processo participativo é necessário pensar que a gamificação está relacionada a diversos aspectos:

  • engajamento do usuário no processo;
  • nível de satisfação com a plataforma - experiência de usuário;
  • interesse no tema;
  • status pessoal e social na rede;
  • reconhecimento pessoal;
  • possibilidade de obtenção de prêmios e recursos materiais;

A plataforma de participação digital, vista como uma rede social, integra atores, com diferentes perfis e interesses, em torno de comunidades temáticas, também com seus diferentes contextos e temáticas, para a construção de processos participativos (trilhas) empregando diversas metodologias e ferramentas.

Desta forma, considerando que o aprendizado é um processo de participação e vice e versa, é possível pensar no desenvolvimento de um modelo de letramento informacional gamificado que permita transpor os conceitos e metodologias da rede social (Noosfero - empregada na SG/PR para participação social) de participação social para uma rede social de aprendizado gamificado em participação empregando de forma transversal aspectos de Letramento Informacional e Gamificação, potencializados ainda mais por colaboração e compartilhamento de informações.

 

Acesse aqui o documento completo da oficina em formato PDF.

 

Referências:

CORREIA, Leandro Coelho; SANTOS, Leandro Nunes dos. Gamificação: Como motivar pessoas através da Mecânica de Jogos. Congresso Serpro de Tecnologia e Gestão aplicadas a Serviços Públicos - CONSERPRO, 2014. Disponível em <http://www.anaisdoconserpro.serpro.gov.br/modules/cadastro_de_trabalhos/download_trabalho.php>. Acesso em: 02 Fev 2015.

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias. Letramento Informacional: pesquisa, reflexão e aprendizagem / Kelley Cristine Gonçalves Dias Gasque. – Brasília: Faculdade de Ciência da Informação / Universidade de Brasília, 2012.175 p.

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias. [comentário pessoal]. Facebook. 20 março 2014. Disponível em: <https://www.facebook.com/308431162587554/photos/a.308440909253246.64076.308431162587554/744595838971082/?type=1&theater>. Acesso em: 21 mar 2014.


Categorias

Ciência, Informação e Comunicação
Tags deste artigo: oficina gamificação

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.