Ir para o conteúdo
ou

 Voltar a Na mídia
Tela cheia Sugerir um artigo

Dilma diz que governo não faz aeroporto pra Copa

28 de Maio de 2014, 17:18 , por Ana Célia Costa - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 33 vezes

A presidente Dilma Rousseff voltou a falar nesta sexta-feira (23/05) sobre a ampliação dos aeroportos, desta vez rebatendo crítica sobre o atraso nas obras para a Copa do Mundo de futebol, que começa em 20 dias. Segundo ela, independentemente da demora na execução das obras, o importante é que os aeroportos vão atender a população brasileira depois dos jogos do mundial. "Não estamos fazendo aeroporto para a Copa", disse.

Dilma aproveitou o momento para comparar também o aumento no número de passageiros nos terminais brasileiros durante governo do PT com o período do PSDB no Palácio do Planalto, reforçando a estratégia de comparar a gestão petista com a do tucano Fernando Henrique Cardoso. "Tem de fazer aeroporto para um País que tinha 32 milhões de passageiros nos aeroportos, em 2002, e hoje tem 112 milhões de passageiros. É para eles que estamos fazendo aeroporto", declarou. "Eu lembro de uma época que ir para aeroporto era um acontecimento, você botava maquiagem e salto, hoje não, aeroporto é para todos", afirmou.

Participação social
A presidente cobrou mais participação popular para que a reforma política encaminhada ao Congresso Nacional no ano passado, em resposta às manifestações iniciadas em junho, possa avançar. "Não haverá reforma política se não houver nesse processo a participação popular", afirmou, durante a cerimônia de lançamento da Política Nacional de Participação Social.

A presidente também recebeu o 5º Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) e participou da entrega do troféus do 5ª edição do Prêmio ODM Brasil.

Ela lançou medidas para melhorar o diálogo da sociedade com o Estado, entre elas: conselhos e ouvidorias para implementar a política nacional de participação social, o portal Participa.br, compromisso nacional pela participação social interlocução com cidades, o marco regulatório da sociedade civil para transparência de políticas públicas e parcerias com ONGs. "Celebrar a democracia significa celebrar as transformações profundas de um País", discursou.

O discurso da presidente foi interrompido por membros do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe), que representa servidores das universidades federais em greve. Eles pediram para a presidente assinar o acordo coletivo para aumento de salário e o projeto que destina 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a Educação Pública. "Aqui somos todos democráticos. Vocês têm todo o direito de se manifestar e o restante de ouvir, então vamos negociar", disse Dilma. Em seguida, os manifestantes foram retirados do auditório pela segurança da Presidência.

Fonte: Época Negócios


Categorias

Governo e Política
Tags deste artigo: arena da participação social política nacional de participação social dilma rousseff

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.