Ir para o conteúdo
ou

 Voltar a Imagens
Tela cheia

Consulta Pública - Revisão das Prioridades do PNRH 2016-2020 - Prazo encerrado, resultados em breve.

30 de Novembro de 2015, 0:00 , por Plano Nacional de Recursos Hídricos - 33 comentários
Visualizado 6229 vezes
Licenciado sob CC (by)

O Plano Nacional de Recursos Hídricos – PNRH, aprovado em 2006 pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos – CNRH, visa orientar a implementação da Política Nacional e do gerenciamento dos recursos hídricos. O PNRH tem horizonte temporal até 2020 e passa agora pela segunda revisão, com o objetivo de definir as diretrizes e prioridades para o próximo ciclo de implementação (2016-2020).

Em conformidade com o caráter democrático, descentralizado e participativo que deve pautar o debate em torno da gestão dos recursos hídricos, o Ministério do Meio Ambiente, por meio da Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano - SRHU, realiza consulta pública aos atores do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos – SINGREH e à sociedade em geral em relação às prioridades do PNRH para 2016-2020.

O processo de revisão do PNRH está focado na definição das diretrizes e ações prioritárias para 2016-2020. Neste momento, a Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (SRHU/MMA) realiza consulta sobre os ajustes de rumo e prioridades que irão orientar o próximo ciclo de implementação do PNRH.

A participação pública no processo de revisão para definição das Prioridades do PNRH para 2016-2020 será realizada por meio da aplicação de dois questionários:

- O questionário azul é dirigido à sociedade em geral, com o objetivo de coletar informações sobre temas importantes relacionados às ações prioritárias do PNRH, que deverão ser consideradas no próximo ciclo de implementação;

- O questionário verde é dirigido aos membros dos Conselhos Nacional e Estaduais de Recursos Hídricos e dos Comitês de Bacias Hidrográficas, com o objetivo de propor uma hierarquização das Prioridades do PNRH para orientar as ações no período 2016-2020 ou novos temas que merecem atenção no próximo ciclo.

A consulta pública resultará nas diretrizes e um conjunto de prioridades para o próximo ciclo de implementação, a serem fomentadas e monitoradas, com a adoção de indicadores selecionados e o estabelecimento de metas para sua aferição. Dessa forma, busca-se que o PNRH possa, cada vez mais, influenciar os processos de gestão dos recursos hídricos em nível nacional, estadual e das bacias hidrográficas.

 

A consulta estará aberta no período de 1 de fevereiro a 1 de maio de 2016.

 

Clique aqui para acessar o manual orientador da revisão das prioridades do PNRH.

 

Consulta Pública encerrada. Em breve os resultados serão disponibilizados.

Agradecemos a participação de todos!

 

 Acesso ao questionário Sociedade Civil        Clique para acessar questionario Singreh

 

                                         


Categorias

Meio ambiente, Governo e Política

33 comentários

Enviar um comentário
  • 27435c863f2b6cc97ed2c7046baebc16?only path=false&size=50&d=wavatarMárcio Veloso Gervazoni Rocha
    8 de Abril de 2016, 3:17

    Shipping Clerk

    12345


  • 27435c863f2b6cc97ed2c7046baebc16?only path=false&size=50&d=wavatarMárcio Veloso Gervazoni Rocha
    8 de Abril de 2016, 21:17

    Shipping Clerk

    12345


  • 8319679f288a9215358b82ade6894afd?only path=false&size=50&d=wavatarMarcos Luiz S. Filho (marQ1St)
    12 de Abril de 2016, 9:12

    P-L-A-N-E-J-A-M-E-N-T-O !!!

    Em um País com respeitáveis Construtoras de grandes obras, acho extremamente factível pensarmos de forma conjunta na melhora da qualidade e na preservação deste recurso abundante, mas FINITO que temos: ÁGUA.
    Sugiro um planejamento de LONGO prazo em vista a ser criada uma "Rede Nacional de Água Potável e Renovável", que envolva todas as esferas do Executivo e Legislativo e Judiciário, de forma a captarmos o excedente (inundações), e distribuir-se de forma equânime por todo o país, de forma que tenhamos um Projeto de Excelência mundial a aproveitarem-se desde as inundações no RS, para que esta "mesma" água - através de uma ampla rede - abasteça o árido Nordeste, bem como, captarmos água e dessalinizarmos a água do mar em mini-estações ao longo de toda nossa imensa costa.
    Além disso, que TODOS os rios sejam assoreados, conservados em sua vazão e qualidade, e limpos.
    Que as pessoas NÃO possam invadir áreas de mananciais e encostas de rios para construírem favelas, ou casa de padrão: quaisquer edificações há de ser pensada o destino dos esgotos (de qualquer tipo), e que comece a haver o reaproveitamento da água já na própria unidade (talvez obrigatórios em novos projetos a conceder-se "Habite-se").
    Que as Indústrias e demais atividades poluidoras sejam direcionadas a utilizar água Renovada (reciclada), e que sejam incentivadas a devolver tal água limpa ao meio da onde foi captada (exemplos? GM-SJC, e EATON Valinhos). Que os esgotos a céu aberto - em especial Tietê, Pinheiros e Tamanduateí - sejam resgatados e voltem a tornar-se rios limpos, aptos a esportes, ao transporte navegável - e que tal responsabilidade seja dos Governos Municipal, Estadual e Federal.
    Que tenhamos água potável por TODO o Brasil, com uma imensa rede que atenda a todos os Brasileiros.
    Tomemos como exemplo ISRAEL em que até em pontos de ônibus há captação de água, e que os prédios (baixos, em sua maioria), contam com células de aquecimento solar (também diminuindo a poluição que possa degradar o meio ambiente, e por conseguinte as nascentes).
    Gostei da iniciativa.
    Acho que é uma ampla discussão a termos e conscientizarmos a todos!


Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

Participe e faça a sua contribuição Cadastre-se aqui