Ir para o conteúdo
ou

Últimas do Participa

Este perfil não tem posição geográfica registrada.

SOFTWARE LIVRE

    

Conheça também

Política Nacional de Participação Social

Compromisso Nacional pela Participação Social

Conferências Nacionais

Conselhos Nacionais

Estatísticas para Soberania Digital

  • 82 usuários
  • 27 tags
  • 15 comentários

Participe a faça a sua contribuição Cadastre-se aqui
 Voltar a CISL - Plane...
Tela cheia

Resultado Final - Planejamento CISL - 2013-2014

5 de Dezembro de 2013, 20:01 , por Ronald Emerson Scherolt da Costa - 1Um comentário | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 283 vezes
Licenciado sob CC (by)

Versão final, revisada e consolidada.

 

 

PLANEJAMENTO 2013 - 2014

 

 

DIRETRIZES

 

1.Colaboração

  • Estimular o desenvolvimento colaborativo de software, as redes de colaboração e incentivar mudança de cultura organizacional;

 

2.Formação

  • Promover formação contínua do quadro de pessoal da administração pública federal em Software Livre;

 

3.Adoção de tecnologias abertas

  • Adotar soluções baseadas em Software Livre, Hardware Livre e padrões abertos,

 

4.Sociedade e Transparência

  • Popularizar o uso de Software Livre na sociedade;

  • Fortalecer movimentos sociais colaborativos em torno de tecnologias livres;

  • Disponibilizar dados, processos, meios e códigos que permitam a transparência do governo, a auditabilidade plena e a segurança dos sistemas além de permitir à sociedade conhecer e produzir informação pública para controlar a administração e com ela contribuir.

 

5. Inovação e desenvolvimento

  • Fortalecer negócios em tecnologia abertas.

  • Incentivar a adoção, o desenvolvimento e a pesquisa de Software Livre nas instituições de ensino e pesquisa

 

6. Sinergia com outras ações de governo

  • Garantir a Sinergia com outras ações e programas de governo, trabalhando pelo desenvolvimento e combate a miséria.

 

 

Objetivos

 

Objetivo 1. Garantir produção e acesso à informação e conhecimento sobre Software Livre nos mais diversos ambientes e locais;

 

Indicadores:

- Número de profissionais que tiveram acesso aos produtos disponibilizados;

- Número de produtos criados;

 

Ação 1: Criar no Portal www.softwarelivre.gov.br base de conhecimento (manuais, casos de sucesso, vídeos, etc);

Ação 2: Fomentar o compartilhamento de notas técnicas para justificar o não uso de software privativo;

Ação 3: Criar metodologia de implantação de Software Livre;

Ação 4: Criar processos de documentação e orientar os órgãos a documentar os processos de migração;

Ação 5: Criar catálogo de funcionalidades e softwares;

Ação 6: Fomentar a troca de experiência em software livre com encontros presenciais.

 

Objetivo 2. Ampliar a capacitação de pessoal para utilização de Software Livre no Governo Federal;

 

Indicador:

- Número de profissionais capacitados;

 

Ação 1: Criar banco de talentos do governo para treinamento;

Ação 2: Mapear laboratórios negociados para capacitações do CISL;

Ação 3: Fomentar remuneração dos instrutores do governo;

Ação 4: Orientar as áreas responsáveis por treinamento para ter um plano de software livre;

Ação 5: Estabelecer uma rede de apoio e capacitação para elaboração dos projetos de migração;

Ação 6: Reforçar iniciativas abertas de EaD como o CDTC;

Ação 7: Fomentar que os órgãos realizem e divulguem eventos abertos sobre software livre;

Ação 8: Fomentar catálogo de cursos com seus fornecedores;

 

 

Objetivo 3. Identificar (mapear) Softwares Livres utilizados pelas instituições do Governo Federal, o estágio atual de adoção de Software Livre e os casos de sucesso ainda não documentados;

 

Indicadores:

- Número de casos de sucesso publicados;

- Levantamento realizado;

 

Ação 1: Atualizar o levantamento de uso de Software Livre, incluindo quais softwares são utilizados

Ação 2: Contratar pesquisa para levantar dados e informações sobre a adoção de SL

Ação 3: Promover a publicação de documentos e processos de homologação de softwares livres.

 

 

Objetivo 4. Dimensionar o montante gasto com propriedade intelectual, com ênfase em TIC

 

Indicador:

- Relatório anual publicado

 

Ação 1: Interagir com TCU para solicitar inclusão no IGOV TI de questões afetas a propriedade intelectual.

Ação 2: Interagir com organismos nacionais e internacionais para saber como levantam informações afetas a propriedade intelectual

Ação 3: Criar grupo de trabalho ou viabilizar especialistas para elaborar o relatório consolidado.

Ação 4: Abrir consulta pública para consolidar o tema e apresentar o relatório

 

 

Objetivo 5. Garantir a sustentabilidade e suporte adequado às soluções livres adotada pelo Governo Federal

 

Indicador:

- Número de contratos de serviço com Software Livre;


Ação 1: Fomentar a criação de um cadastro público de empresas (que prestam suporte) de até médio porte de software livre (CISL) - NoEmpCad / NoEmpMerc

Ação 2: Ampliar a atuação da Central de Suportes e Serviços do SISP-C3S para software livre.

Ação 3: Criar uma base de conhecimento de termos de referências, editais e especificações técnicas e artefatos do serviço de suporte (consultoria, capacitação, etc.) que sirva de orientação na adoção do contrato de prestação de serviço .

Ação 4: Orientar os órgãos a contratar empresas, nos casos de suporte, que tenham técnicos que participem ativamente na comunidade que colabora na evolução e melhorias do software.

 

 

Objetivo 6. Ampliar a comunicação, conhecimento e compreensão da política de adoção de Software Livre

 

Indicador:

- Quantidade de reuniões de sensibilização realizadas;

 

Ação 1: Colocar no Planejamento Estratágico e PDTI's, a política de Software Livre, através de reuniões com as direções;

 

Ação 2: Construir estratégias coletivas de implantação de aplicações, customizando recursos, aumentando a sinergia e promovendo o tema.

 

Ação 3: Promover reuniões de sensibilização para corpo técnico e gerencial.

 

Ação 4: Criação de campanha de divulgação das facilidades que o CISL pode oferecer aos órgãos.

Ação 5: Elaborar plano de comunicação nas novas mídias em torno do software livre na administração pública

 

Objetivo 7. Ampliar a proporção de uso de sw livre em relação a software privativo

 

Indicadores:

- % o uso de software livre de infraestrutura

- % o uso de sw livre em desktops e equipamentos moveis

- % do desenvolvimento e adoção de sistemas de informação baseados em sw livre

 

Ação 1: Atualizar o levantamento de uso de Software Livre, incluindo quais softwares são utilizados

 

 

Objetivo 8. Orgãos da APF devem definir metas para adoção de Software Livre e o CISL monitorar o cumprimento;

 

Indicador:

- Número de órgãos que informaram meta ao CISL;

 

Ação 1: Solicitar que os órgãos definam metas no seu planjemanto para SL e informem o CISL evolução da meta;

 

 

 

Objetivo 9. Definir ambiente colaborativo de desenvolvimento federado para o setor público;

 

Indicadores:

- Número de projetos criados dentro do ambiente;

- Quantidade de linhas de códigos desenvolvidas;

 

Ação 1: Criar grupo de trabalho para implantação do ambiente colaborativo

Responsável: SLTI

 

 

 

Objetivo 10. Definir catálogo de tecnologias abertas e livres desenvolvidas e ou utilizadas pelas unidades do governo;

 

Indicadores:

- Número de soluções cadastradas;

- Número de entidades participantes;

 

Ação 1: Criar grupo de trabalho com proposta de catálogo

Responsável: SERPRO

 

 

Objetivo 11. Estimular grupos de trabalhos específicos e comunidades temáticas para softwares de código aberto de uso comum;

 

Indicadores:

- Número de grupos de trabalhos em atividade;

- Número de técnicos do governo que participam oficialmente em grupo e ou comunidade de software livre;

 

Ação 1: Criar estrutura para o trabalho dos grupos

Responsável: SLTI

 

Objetivo 12. Alocar recursos do orçamento federal para serem investidos nos softwares de código aberto selecionados pela Administração Pública Federal (APF).

 

Indicadores:

- Quantidade de recursos alocado;

- Quantidade de soluções contempladas com os recursos;

 

Ação 1: Elaborar proposta orçamentária anual para ações de software livre

Responsável: SLTI e CISL

Ação 2: Construir proposta para os gestores de fundos para que sejam alocados parte dos recursos para o software livre.

Responsável: CISL

 

Ação 3: Criar equipe de disseminação dos softwares livres na administração pública federal que possam visitar os órgãos.

Responsável: SLTI, CISL e INTERLEGIS

 

 

Objetivo 13. Estimular a criação de eventos de Software Livre, fortalecer os existentes e promover a participação de integrantes dos governos.

 

Indicadores:

- Quantidade de eventos de software livre em que houve participação de membros do Governo;

- Número de eventos apoiados pelo governo;

 

Ação 1: Manter lista de eventos de software livre para a participação dos membros do governo.

 

Ação 2: Estimular os organizadores de eventos a informar sobre as características do evento bem como quanto a participação governamental

 

Ação 3: Articular investimento do governo em eventos de software livre

 

 

Objetivo 14. Definir os processos de compartilhamento e colaboração de softwares abertos e livres em documento que seja mantido e atualizado pelo CISL.

 

Indicadores:

- Quantidade de acessos realizadas por processos;

 

Ação 1: Definir grupo de trabalho que elabore os processos, e faça a documentação dos mesmos.

 

 

Objetivo 15. Sensibilizar a direção das instituições públicas para inserir seus técnicos e gestores em comunidades de desenvolvimento de software livre de interesse estratégico de seus órgãos.

 

Indicadores:

- Números de órgãos que tenham definido comunidades de interesses;

 

Ação 1: Promover eventos, ações, apresentações que sensibilizem os diretores de TI sobre a necessidade de participação e apoio nas comunidades.

 

Ação 2: Produzir e difundir documentação didática sobre as vantagens do engajamento dos técnicos nas comunidades

 

Objetivo 16. Promover a integração e interação com todas as esferas dos três poderes para fomentar a interoperabilidade, colaboração, compartilhamento e o desenvolvimento de soluções livres;

 

Indicadores:

- Número de soluções livres integradas neste modelo;

- Quantidade de entidades relacionadas

 

Ação 1: Aprimoramento do ambiente virtual de apoio 4CMBr e o Colab sincronizando com o ambiente colaborativo de desenvolvimento.

Responsável: SLTI e INTERLEGIS

 

Ação 2: Ampliar a divulgação através de um plano de comunicação

 

Objetivo 17. Estimular o compartilhamento das vagas de cursos de software livre entre diferentes órgãos;

 

Indicadores:

- Números de cursos que abriram vagas;

 

Ação 1: Elaborar e definir um local para a disponibilização de vagas de cursos com sua classificação e gênero

 

Ação 2: Solicitar que as entidades disponibilizem vagas em cursos.

 

 

Objetivo 18. Apoio à inclusão de Software Livre dentro do currículo dos cursos existentes

 

Indicadores:

- Número de cursos que incorporam Software Livre

 

Ação 1: Levantamento dos cursos que usam Software Livre

 

Ação 2:Investigar/propor instrumentos para contratação da criação do material didático

 

Ação 3: Criação de material didático livre de alto nível

 

Ação 4: Definição de sistemática para criação de centros de conhecimento livre

 

Objetivo 19. Apoio a criação de novos cursos superiores, técnicos e de extensão em Software Livre

 

Indicadores:

- Número de cursos existentes

 

Ação 1: Apresentar proposta para Coordenação do PNE

 

Ação 2: Realizar pesquisa de demanda social de formação profissional em tecnologia Livres (CISL)

 

Ação 3: Criar a universidade do Software Livre

 

Objetivo 20. Fomento à pesquisa científica em tecnologias livres

 

Indicadores:

- Montante investido

 

Ação 1: Publicar editais para pesquisa em Software Livre

 

Objetivo 21. Fomento à integração de IES com governo

 

Indicadores:

- Número de acoes e acordos entre órgãos governamentais e IES

 

Ação 1: Aprimorar mecanismos para estabelecimento de convênios com IES públicas e privadas

 

Ação 2: Ampliar a quantidade de convênios e a disponibilidade de recursos para convênios com IES para P&D de software livre

 

Objetivo 22. Apoio a startups de software livre

 

Indicador:

- Número de startups apoiadas

 

Ação 1: Articular publicação de editais para incentivo de empresas de software livre

 

Ação 2: Incorporação no Programa Startup Brasil (TI Maior) a criação de incubadoras regionais voltadas especificamente para software livre

 

Objetivo 23. Estimular alunos e técnicos a resolverem tickets de projetos de software livre

 

Indicadores:

- Número de projetos que receberam contribuição

 

Ação 1: Criação de grupo de trabalho que viabilize uma central de operação de tickets unindo demandantes e executores de tarefas em tecnologias livres

 

 

Objetivo 24. Promover que as ações de inclusão digital utilizem Software Livre.

 

Indicadores:

- Número de projetos que usam Software Livre

 

Ação 1: Orientar os órgão de governo que adotem Software Livre nas suas ações de inclusão digital.

 

 

Objetivo 25. Estimular a manutenção de um espaço único com cadastros de especialistas em Software Livre atualizado pela própria comunidade

 

Indicador:

- Número de especialistas cadastrados por ano

 

Ação 1: Incluir especialistas em software livre no mapa de profissionais do MTE.

 

 

Lista de participantes:

  

 

Link: http://www.softwarelivre.gov.br/planejamento-cisl/rascunho-planejamento-2013-2014


Categorias

Ciência e Tecnologia
Tags deste artigo: cisl arranjo produtivo asl mcti software livre governo federal sl linux desktops participação social no código planejamento gnu/linux serpro secretaria geral da presidência

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.